(…) Quando a fila dos atendidos chega ao término, o nosso Chico se levanta da cadeira, auxiliado por braços amigos…

Percebemos o seu visível cansaço, embora ainda consiga reunir energias para cumprimentar e sorrir aos amigos que esperam pelo inicio da sessão publica.
Da cadeira à mesa central de reuniões, calculamos uns vinte passos.

Ele os vence com certa dificuldade, parecendo suportar nos ombros invisível cruz…

Certa vez ele nos confidenciou:

– “Não é que eu esteja assim com tanta dificuldade para andar, nem tão doente, mas os problemas que ouço dos nossos irmãos, pesam demais sobre mim; são dramas dolorosos, tristes…
Meu Deus! É muito sofrimento!”.

Fonte: (Extraído do livro: Chico Xavier- Mediunidade e vida- Carlos Bacelli).

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 26/04/18, na Rede Espirit Book