O espiritismo de maneira nenhuma descarta a hereditariedade, antes a confirma, mas não é a hereditariedade a causa primária dos distúrbios orgânicos bem como dos transtornos de natureza psicológica e psiquiátrica, porque a carga de natureza genética é, por si mesma, um efeito, porquanto o Espírito, quando se vai reencarnar, ao vincular-se ao espermatozoide encarregado de fecundar o óvulo, imprime no código genético aquilo de que tem necessidade para o processo da evolução e, por isso, cada qual irá reencarnar-se no grupo espiritual, familial de que necessite, a fim de poder desenvolver os caracteres que propiciem a manifestação da enfermidade depuradora do futuro, tais as degenerescências de Alzheimer, de Parkinson, de esclerose múltipla e de outras, encontrando no fator genético os elementos programadores da reencarnação. O mesmo ocorre em relação à saúde, aos valores positivos do bem-estar, da inteligência, da memória e das aptidões artísticas.
(Divaldo Pereira Franco- “Doenças ou Transtornos Espirituais?”- AME-MG, página 124.)

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 18/o7/6,