Será que existe mesmo o amor ideal? Onde e como encontrá-lo? A busca pelo amor idealizado tem levado muitas pessoas a percorrem longos e dolorosos caminhos, crentes de que esse encontro faria suas vidas mais felizes e completas, porque ao contrário das histórias mostradas em romances e filmes,o mundo real se apresenta de forma bem diferente dos sonhos, levando muitos à insatisfação.

São inúmeras definições sobre o tema, desde as mais materialistas às reflexões embasadas na filosofia e na religião. Sob a ótica do filósofo grego, Platão, o amor ideal seria a junção de duas partes que se completariam, algo essencialmente puro e desprovido de paixões, um amor perfeito e impossível de se realizar. Nesta concepção, o amante buscaria no amado, suprir a falta da sua verdade essencial, a Ideia, para se sentir completo, diferente das paixões ligadas à matéria, que seriam passageiras, falsas e nutridas pelo desejo.

Procurando compreender o pensamento do grande filosofo sobre o amor como preenchimento de um vazio e a crença na salvação para outros problemas da vida, encontramos à luz do espiritismo explicações abrangentes. Como esclarecem os bons espíritos, a grande parte das relações afetivas no atual estágio evolutivo que se encontra a humanidade são marcadas por resgates do passado, com o propósito do aprendizado e do perdão. Poucos são os que já aprenderam que o amor não se busca, porque não se encontra fora, mas uma conquista interior do espírito, doando o melhor de seus corações com generosidade e se sentindo completos por essa entrega verdadeira.

Esclarecem os bons espíritos sobre as caras metades na questão 299 de O Livro dos Espíritos: “A expressão é inexata. Se um Espírito fosse a metade do outro, separados os dois, estariam ambos incompletos.”

Em relação aos compromissos afetivos, complementa o espírito Emmanuel pela psicografia de Chico Xavier no livro Vida e Sexo: “Para que não sejamos mutilados psíquicos, urge não mutilar o próximo. Em matéria de afetividade, no curso dos séculos, vezes inúmeras disparamos na direção do narcisismo e, estirados na volúpia do prazer estéril, espezinhamos sentimentos alheios, impelindo criaturas estimáveis e nobres a processos de angústia e criminalidade, depois de prendê-Ias a nós mesmos com o vínculo de promessas brilhantes, das quais nos descartamos em movimentação imponderada.”

Entende-se a partir dessas reflexões, que enquanto os relacionamentos amorosos forem movidos pelo egoísmo, orgulho ou vaidade, a solidão intima existirá, mesmo estando acompanhado, porque além da ligação física, para que união de almas possa se consolidar é necessário que prevaleça o respeito recíproco e a paciência para a construção do amor sincero.

Quando formos capazes de praticar o amor em sua essência, deixaremos de buscar o sonho inatingível para caminhar rumo à experiências mais profundas e felizes!

Sugestões para inspirar o amor 

A CURA PELO AMOR: Doutor Bezerra de Menezes, figura apostolar do espiritismo, considerado o líder entre os médicos do Espaço que atuam em nosso orbe, é quem vem nos revelar as facetas de uma terapia que prescreve o amor como instrumento profilático na caminhada do espírito imortal, rumo às paragens angélicas.

AMOR NUNCA DIZ ADEUS: Em uma história cheia de amor, paixão, traição e vingança, eles aprenderão a importância da espiritualidade e do perdão na vida de todos nós e perceberão que o amor jamais nos abandona.

Marcados pelo Passado:- O Amor foi mais Forte: O entrelaçar de um história intrigante com muitos sentimentos envolvidos,uma narrativa envolvente que trata de temas como aborto, obsessão, a dinâmica da reencarnação, a lei de causa e efeito e a importância de descobrir os valores espirituais e o verdadeiro sentido da vida.

CD NOS PASSOS DO MESTRE: Trilha sonora original do filme Nos Passos do Mestre – Jesus Segundo Espiritismo

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 10/05/17, na Rede Espirit Book