A homossexualidade deixou de ser considerada uma doença pela Organização Mundial da Saúde no dia 17 de maio de 1990. Data que foi escolhida por movimentos pelos direitos LGBTs, em 2004, como marco simbólico para realizar ações de combate à homofobia em mais de 70 países.

O termo homofobia foi empregado inicialmente em 1971, pelo psicólogo George Weinberg. Esta palavra, de origem grega, remete a um medo irracional do homossexualismo, com uma conotação profunda de repulsa, total aversão, mesmo sem motivo aparente.

Trata-se de uma questão enraizada ao racismo e a todo tipo de preconceito.

A palavra homofobia define o ódio, o preconceito, a repugnância que algumas pessoas nutrem contra os homossexuais.

Já a tolerância e a compreensão, são instrumentos que auxiliam na convivência com aqueles que agem e pensam diferente de nós.

Visão Espírita:
A homossexualidade, também hoje chamada transexualidade, em alguns círculos de ciência, definindo-se, no conjunto de suas características, por tendência da criatura para a comunhão afetiva com uma outra criatura do mesmo sexo, não encontra explicação fundamental nos estudos psicológicos que tratam do assunto em bases materialistas, mas é perfeitamente compreensível, à luz da reencarnação. (Xavier) Espírito Emmanuel.

Chico Xavier: em resposta às perguntas: como encara o espiritismo o problema da homossexualidade? Qual a melhor atitude da sociedade frente a essa ocorrência?

– Acreditamos que o tempo e a compreensão humana traçarão normas sociais susceptíveis de tranqüilizar quantos se vinculam a semelhante segmento da comunidade, assegurando-se-lhes a benção do trabalho com o respeito devido a todos os filhos de Deus (…) Até que isso se concretize, não vejo qualquer motivo para críticas destrutivas e sarcasmos incompreensíveis para com os nossos irmãos e irmãs portadores de tendências homossexuais, a nosso ver claramente iguais às tendências heterossexuais que assinalam a maioria das criaturas humanas.

Fonte: Radio Boa Nova

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 17/05/18, na Rede Espirit Book.

Posts Relacionados