Somente o amor preenche o imenso vazio da alma.

Nesse lugar silencioso e solitário do coração, o amor deve inaugurar o seu primado, irradiando-se como soberana luz em todas as direções. A sua voz nem sempre se faz ouvida por outrem, no entanto, sua presença sempre se torna sentida por todos.

O amor nutre a esperança e dá forças à fé.

Terra fértil para os sentimentos nobres, é o amor fraternal o élan da união entre todas as criaturas. Nele desabrocham a justiça e a caridade, enflorescendo a vida de paz.

Porque é o hábito de manutenção dos seres e vige em toda a parte no Cosmo, sustentando o equilíbrio das leis universais, tanto quanto da harmonia da natureza, “Deus é amor”, conforme o definiu João.

Joanna de Ângelis