O ex-assessor parlamentar João Claudio Genu, que é réu da Lava Jato, afirmou em depoimento que entregou propina ao ex-diretor de Abastecimento da Petrobrás Paulo Roberto Costa, primeiro delator da grande operação anticorrupção. O dinheiro partiu de entregadores do doleiro Alberto Youssef.

As informações foram reveladas por Genu, que foi assessor parlamentar do ex-deputado José Janene (ex-PP, morto em 2010), ao Juiz Federal Sérgio Moro na última quinta-feira (23) ao ser interrogado em ação penal que responde por corrupção, organização criminosa e lavagem de dinheiro envolvendo valores desviados do esquema de corrupção na Petrobrás.

De acordo com o Estadão, a força-tarefa aponta que o ex-assessor parlamentar teria recebido R$ 6 milhões do esquema, mesmo enquanto era julgado pelo Supremo Tribunal Federal (STF) no Mensalão. Ao ser questionado se tinha o conhecimento so esquema, ele confirmou e também afirmou que ,”Janene dava dinheiro para bancada toda”.

Por meio de nota, o Partido Progressista reiterou que não compactua com atos ilícitos e acredita no trabalho da Justiça para esclarecer os fatos.

Nosso comentário: as entranhas vão-se rompendo e as podridões vão-se amontoando. Apesar de tantas evidências e tantos envolvidos, os holofotes apenas massacram Lula, Dilma e o PT. Assim, senhor Sérgio Moro não iremos a parte nenhuma, Tanto espetáculo para tão pouca produção. E a corrupção vai continuando. O tempo vai passando e a politicagem vai continuando e tudo se desenrola como quase nada tenha mudado.

Alberto Maçorano