“Quanto caos se vê instalar entre este povo feliz que é o brasileiro, que luta com o labor do dia a dia para que o pão não lhe falte à mesa.

Este povo heroico que busca pela luta armada a solução infeliz de seus problemas, colocando ao lado das razões os sentimentos mais nobres que devem guiá-los, de compaixão e de fé.

São filhos gentis desse solo amoroso que os acolhe com as mãos estendidas em busca da sua compreensão para que se faça no horizonte a pátria amada do Cristo, que deseja que aí seja o coração do seu evangelho de paz e de luz.

Não sejamos ingratos à mãe gentil desse solo fecundo e infinito de brilho e de paz que pelo diálogo encontrará o caminho certo de direção.

Toda e qualquer forma de violência não é bem vista aos olhos do Criador, que antes aguarda a renúncia do que faz a luta violenta, pois somente a primeira revela a vontade firme que devemos ter de nos submetermos a sua infinita e sábia bondade.

Não pensem que neste solo gentil há irmãos abandonados da misericórdia divina, todos somos assistidos por sua luz e generosidade, por isso o erro não deve ser pago com outro erro tão pior quanto, mas sim pela compreensão e pela intenção justa e fiel de educar aqueles que transgridam as leis humanas e da divindade.

Assim sejamos hoje, todos nós brasileiros ou não, que vivem neste solo gentil e fértil, portadores da paz e não da luta, mas que o diálogo seja o caminho de união e de luz e que a vontade de Deus seja aquela a ser respeitada, pois assim conhecerá na oportunidade certa os seus sábios desígnios.

Por isso não se coloquem à luta, mas sejam mansos e pacíficos, pois assim conhecerão no porvir o reino de Deus, e amanhã na terra a nova era terá início, e nesta pátria de luz o evangelho há de expandir infinitamente o seu brilho e sua sabedoria.

Não será pela mão que fere ou que agride que haverá adiante a paz, pois aquele que assim se guia já não pode ser o crítico do erro, pois como ele comunga dos mesmos ideais, sem alterar o rumo pela sabedoria e pelo acerto, que virá sempre, seguramente, pelo exemplo externado em ações simples e concretas, no campo do diálogo e do entendimento.

Não lastimem o passado que os agride, mas sim o presente que não permite a melhora quando o caminho é o erro que não os eleva, mas traz de volta os altos preços pagos em momentos antes difíceis.

Não repitam os erros, eduquem-se e saibam que até hoje não houve crise cuja violência houvesse sanado, pois troca-se o líder tirano por outro tão cego e egoísta quanto.

Somente haverá bondade e paz quando este houver sido o caminho de busca das soluções e não a fúria ou a raiva.

Por serem confiantes os governantes não pesam os seus atos, mas de Deus ninguém pode esconder nenhuma de suas ações, nem sequer os piores pensamentos, pois Ele sabe como e quando deve agir para que a direção dos acontecimentos novamente encontre o rumo da retidão de caráter.

Confiem meus irmãos nos desígnios do Criador e sejam sempre antes o pacificador do que aquele que pelo erro busca consertar outro tão maior quanto pior.

Somente a luz ilumina o pântano e a escuridão, não será ao contrário que obterão a paz, por isso sejam aqueles que levam a compreensão, o amor e entendimento e não a luta e a força contra tudo aquilo que somente ao Criador cabe a compreensão devida dos acontecimentos e de suas consequências boas ou ruins.

Não estou aqui pedindo que se omitam, mas sim inofensivos como as pombas, sagazes como as serpentes, pois nesta lição Jesus nos educa o caminho a seguir, ou seja, lutem através das ideias, pelo diálogo, pela força política, mas jamais pela violência ou pela fúria, pois assim ao contrário de luz e paz encontrarão mais trevas e sofrimento.

Saibam que não há nada cuja vontade soberana de Deus não esteja presente, por isso confiem, trabalhem e creiam que tudo passa e que somente o bem há de mostrar as belezas dos seus frutos a toda a humanidade, sobretudo a esta pátria generosa do evangelho.

Assim coloquem-se de prontidão, capazes de renunciarem a si mesmo, mas sempre na busca da luz, da paz e da solução pelas mãos do amor e do respeito, rejeitando o caos e a violência que em nada contribuirá para nova era que se aproxima, de mais retidão e bondade.

Lutem meus irmãos, mas contra tudo aquilo que os entravam ao caminho da luz e do bem, e sigam com os seus corações como passageiros de uma viagem de paz e amor em direção ao bem de toda uma nação, pela ação generosa da compreensão e do diálogo, mostrando a todos que somos verdadeiramente a pátria do evangelho e não do erro.

Que assim seja, na paz do Cristo.

Pedro Paulo e Ana.”
Postado por André Luiz Sardinha

Postado por Patrizia Gardona, em 17/01/18, na Rede Espirit Book.