O intercâmbio de correntes vibratórias (mente-corpo, perispírito emoções, pensamento matéria) é ininterrupto, atendendo aos imperativos da vontade, que os direciona conforme seus conflitos ou aspirações.
Ideias não digeridas ressurgem em processos enfermiços como mecanismos autopurificadores;angústias cultivadas ressumam como distonias nervosas, enxaquecas, desfalecimentos, camuflando a necessidade de valorização e fuga do interesse do perdão; dispepsias, indigestões, hepatites originam-se no aconchego do ódio, da inveja, da competição malsã – geradora de ansiedade – do medo, por efeito dos mórbidos conteúdos que agridem o sistema digestivo, alterando-lhe o funcionamento.
O desamor pessoal, os complexos de inferioridade, as mágoas sustentadas pela autopiedade, as contrariedades que resultam dos temperamentos fortes, são fontes de constantes atritos com o organismo, resultando em cânceres de mama (femininos), da próstata, taquicardias, disfunções coronarianas, cardíacas, enfartos brutais…
Impetuosidade, violência, queixas sistemáticas, desejos insaciáveis, respondem por derrames cerebrais, estados neuróticos, psicoses de perseguição…
O homem é o que acalenta no íntimo. Sua vida mental expressa-se na organização emocional e física, dando surgimento aos estados de equilíbrio como de desarmonia pelos quais se movimenta.(…) Jesus referiu-se ao fato, magistralmente, no seguinte pensamento: “A cada um será dado segundo suas obras”.
(Joanna de Ângelis- “Autodescobrimento”, psicografia de Divaldo Franco.)

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 18/06/16, na rede Espirit Book