Temer é o chefe da pior quadrilha que assaltou o Brasil nos últimos anos. O subchefe Aécio Neves, presidente do PSDB, já está afastado do Senado.

                As provas escancaradas no Jornal Nacional revelam que Temer é pior do que Lula e Dilma. Lidera o bando associado ao PSDB e às forças reacionárias do empresariado, que derrubaram um governo que eles próprios corromperam valendo-se da corrupção sistémica para implantarem uma República de ladrões.

                Não desviaram apenas dinheiro e cortaram direitos dos trabalhadores de forma criminosa, mas, principalmente, assaltaram a democracia e aumentaram a desesperança de que nunca sairemos dessa pocilga política.

                Se compararmos a situação atual com o governo anterior golpeado, temos quase uma situação bíblica, Lula e o PT seriam o Bem corrompido pelo Mal, enquanto Temer e seus asseclas são o Mal absoluto. Isto não absolve ninguém, mas, como um Robin Hood político, Lula seria o bandido do Bem, enquanto Temer e a camarilha apoiada pelas oligarquias retrógradas representariam o caráter antiético do Poder, como o xerife da floresta de Sherwood.

                Como as gravações e as malas de dinheiro rastreadas pela Polícia Federal, com a exposição da miséria humana na face de um presidente, não há outra saída: eleições diretas já. O contrário seria mais um conchavo entre os quadrilheiros que enxovalharam o Estado e enganaram o povo.

                Porém, quem está limpo para se candidatar? A alienação política, especialmente da classe média, que sempre teve a última palavra, deixou-nos em um dilema. Agora, como nunca nas últimas décadas, o povo precisa manifestar sua sabedoria, mesmo que seja uma solução pragmática e não ideal.

Júlio Chiavenato (jornal A Cidade)
Ribeirão Preto, 19/05/17 
chiavenato@jornalacidade.com.br

Nosso comentário: pelo respeito, seriedade, ética, dignidade e competência deste grande jornalista, posto o seu depoimento sobre a grave crise política em que o Brasil mergulhou pelas mãos da corrupção histórica e endémica da maioria esmagadora dos políticos e administradores deste sofrido Brasil. Não acreditamos que seja desta vez ainda, que o Brasil será passado a limpo, uma vez que parte dos investigadores também fazem parte da máfia corruptiva. Até quando?…

 

Alberto Maçorano