Não é novidade que de vez em quando encontramos matérias na internet falando de alguém que conseguiu capturar, mesmo que involuntariamente, uma “foto do além”. Sim! Espíritos podem aparecer em fotos, isso não é nenhum absurdo diante de milhares de fatos que nos chegam todos os dias.O único cuidado é que as fotos tem que seguir para uma perícia especializada para que possam ser desmascaradas possíveis fraudes. Mas quando são reais, surgem as dúvidas: 

Por que isso acontece?
A kardecista Yeda Hungria, 72 anos, do Instituto Espírita Bezerra de Menezes, em Niterói, observa que casos de espíritos que aparecem em fotografias são muito estudados nos Estados Unidos. “Este tipo de fenômeno não é muito comum, mas pode acontecer. Geralmente, as pessoas que conseguem este tipo de fotografia possuem um dote mediúnico que permite a manifestação do espírito”, acredita. Para Paulo Ruy, 68 anos, do Lar Frei Luiz, na Taquara, em casos como esses o desencarnado quer oferecer um ensinamento. “O espírito pode estar querendo mostrar que existe vida após a morte ou que está bem, por exemplo”, explica.
E como isso acontece?
Todos que estudaram as obras espíritas básicas, como O Livro dos Espíritos e O Livro dos Médiuns e conhecem as características e propriedades do perispírito, sabem que, em determinadas circunstâncias, o Espírito (ou alma de uma pessoa falecida) pode aparecer em fotografias ou filmes. Para a ocorrência desse típico empregos baixada santista fenômeno mediúnico de efeito físico, é indispensável que um ou mais médiuns, consciente ou inconscientemente, forneçam o ectoplasma necessário e o Espírito então consiga deixar sua impressão na película, registrando imagem através da qual poderá ser reconhecido pelas pessoas que o conheceram antes da morte.
Além disso, não será demais lembrar que mesmo o Espírito de uma pessoa encarnada (“viva”), estando dormindo, também poderá, nas mesmas circunstâncias, ser fotografado em local mais ou menos distante daquele onde se encontra repousando o seu corpo físico, fato aliás que já foi objeto de comprovação. Então, para fins de resumo, temos que considerar 4 fatores importantes: Que o Espírito sobrevive à morte do corpo físico; que, depois de desencarnado, pode emitir determinada energia que, mesmo invisível ao comum das criaturas, é suficiente para impressionar uma chapa fotográfica sensibilizada; que, para obtenção desse efeito energético, é necessária a presença de pessoas dotadas de recursos especiais, dentro da classificação genérica de médiuns; Mesmo o(s) médium(s) que doam os fluidos energéticos podem não perceber visualmente o espírito lá presente na hora do clique fotográfico;

Um caso interessante…
Em Teresina/PI, um juiz de direito estava numa clínica de fisioterapia e tirou algumas fotos suas, a partir de um celular. Eis que em uma das fotos, atrás do magistrado, há um semblante de uma senhora. A fotografia tirada no aparelho de telefone celular do Juiz de Direito José Olindo Gil Barbosa, titular da Vara dos Juizados Especiais Cível e Criminal da Comarca de Altos, no Estado do Piauí, na qual aparece a figura de uma mulher falecida havia três anos, foi submetida a um rigoroso exame pericial realizado por um dos mais abalizados e experientes peritos do Norte/Nordeste do Brasil, Delfino Vital da Cunha Araújo que, após analisar minuciosamente a fotografia por vários dias, concluiu que a foto é autêntica e nela não há o menor vestígio de montagem ou adulteração. O rosto foi identificado como uma mãe de uma médica que faleceu há 3 anos. Existem diversos outros casos de acontecimentos desse tipo, porém prefiro pesquisar aqueles no qual o texto deixa bem explicado, que as fotos passaram por perícia técnica para efeito de fraudes.

Fonte: Estudantespírita

Postado por Ana maria Teodoro Massuci, em 28/5/17, na Rede Espirit Book