Organizada a sessão de estudo evangélico, os Espíritos Benfeitores, através das doces intimações da prece, foram convidados à execução de regular empreitada.

– 520 ORIENTAÇÕES A COMPANHEIROS DOENTES COM ESPECIFICAÇÕES E CONSELHOS TÉCNICOS.
– 50 PASSES MAGNÉTICOS, EM BENEFÍCIO DE ENFERMOS ENCARNADOS.
– 200 INTERVENÇÕES DE SOCORRO A ENTIDADES SOFREDORAS, AUSENTES DO CORPO FÍSICO.
– 35 VISITAS DE ASSISTÊNCIA A LARES DISTANTES.
– 150 NOTAS SOCORRISTAS PARA DESLIGAMENTO DE OBSESSORES E INIMIGOS INCONSCIENTES.
E DEVIAM AINDA ELIMINAR DOIS SUICÍDIOS POTENCIAIS, EVITAR UM HOMICÍDIO PROVÁVEL, AFASTAR AS POSSIBILIDADES DE DOIS DIVÓRCIOS INFELIZES E AJUSTAR MAIS DE CEM ENTENDIMENTOS, EM FAVOR DA FRATERNIDADE, DA HARMONIA E DA REENCARNAÇÃO.

Em troca, os componentes da assembléia deviam dar de si mesmos um pouco de alegria, de fé viva, de sinceridade e de paciência, com algumas palavras de carinho e amizade para sustentarem o clima vibratório, necessário à realização das tarefas indicadas aos colaboradores que começaram a atuar.

Iniciada a empresa, porém, depois de alguns raros amigos haverem atendido heroicamente aos encargos que lhes competiam, eis que a reunião se veste de sombras.

O nevoeiro da ociosidade mental invadiu quase todos os departamentos da casa.

Dois prestimosos cooperadores passaram a visitar o pensamento dos companheiros encarnados, rogando concurso urgente, mas o silêncio e a inércia continuaram operando.

Consultados em espírito, com respeito à contribuição de que se faziam devedores, cada qual respondia a seu modo, falando mentalmente.

Um cavalheiro deu-se pressa em esclarecer que era ignorante e imprestável.

Um jovem tribuno do Evangelho afirmou-se doente e incapaz.
Um companheiro de serviço alegou que se sentia envergonhado e inapto para qualquer comentário construtivo.

Uma senhora perguntou se os Espíritos Amigos não poderiam solucionar os compromissos da sessão em cinco minutos.

Um lidador juvenil explicou que se sentia diminuído à frente dos mentores e experimentava o receio de falar sem brilho, depois deles.

Um antigo beneficiário solicitou a concessão de maca em que pudesse confiar-se ao repouso.

Um ouvinte preocupado adiantou-se consultando o relógio e bocejou entediado.

Uma robusta irmã pediu fosse colocada uma cadeira preguiçosa em lugar do banco áspero que a servia.

E QUASE TODOS, INCLUINDO JOVENS E ADULTOS, LETRADOS E INDOUTOS, NECESSITADOS OU CURIOSOS, DESCANSARAM NA IMPRODUTIVIDADE, ACREDITANDO QUE É SEMPRE MELHOR OBSERVAR SEM RESPONSABILIDADE, À ESPERA DO FIM.

E A SESSÃO, QUE DEVERIA SER MANANCIAL CANTANTE DE BÊNÇÃOS COM ALEGRIA E PAZ, UNIÃO E ENTENDIMENTO DE CORAÇÕES FRATERNOS E CALOROSOS NA FÉ, PROSSEGUIU ATÉ A FASE FINAL, QUAL SE OS COMPANHEIROS ESTIVESSEM SITUADOS NUM VELÓRIO DE GRANDE ESTILO, CERCADOS PELO CREPE ARROEADO DA TRISTEZA E DO LUTO, QUEIMANDO O INCENSO PRECIOSO DO TEMPO EM CÂMARA MORTUÁRIA.

Que entre nós, meus amigos, assim não aconteça.

ESPIRITISMO É TRABALHO E CONFRATERNIZAÇÃO.

EVANGELHO É AMOR E CONTENTAMENTO.

Sempre que desejardes a vitória do bem, auxiliai o bem e plantai-o.
Trazei até nós o concurso da boa vontade, que é a alavanca de todos os prodígios do progresso, enriquecendo-nos o santuário comum com os dons da saúde e da esperança, do otimismo e da fé.
Permutemos experiências e corações.

Amparemos-nos uns aos outros.

A nossa Doutrina Consoladora é Sol e não devemos esquecer que a vida é ação permanente, porque a inércia, em toda parte, é sempre a antecâmara da estagnação ou da morte.

André Luiz
Do livro “Apostilas da Vida”
Psicografada por Francisco Cândido Xavier

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 13/08/16, na Rede Espirit Book