Cármen Lúcia critica suposta espionagem de Temer contra Fachin…

São Paulo – Em nota divulgada neste sábado (1), a presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), Cármen Lúcia, fez duras críticas à possibilidade de o presidente Michel Temer (PMDB) ter acionado a Agência Brasileira de Inteligência (Abin) para espionar o ministro Edson Fachin, relator da Operação Lava Jato no STF.

“É inadmissível a prática de gravíssimo crime contra o Supremo Tribunal Federal, contra a Democracia e contra as liberdades, se confirmada informação de devassa ilegal da vida de um de seus integrantes”, disse a ministra, em nota.


Fique por dentro de tudo o que acontece com o App MSN Notícias
Faça o download para Windows, Windows Phone, Android e iOS.

Na sexta-feira (9), reportagem da revista VEJA informou que o governo teria se mobilizado para bisbilhotar a vida do ministro com o objetivo de fragilizar a posição de relator do magistrado nas investigações da Lava Jato. De acordo com a publicação, a investigação da Abin já estaria em curso há alguns dias, e teria encontrado indícios de que Fachin voou no jatinho particular da JBS.

Em nota, a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República negou a informação. “O governo não usa a máquina pública contra os cidadãos brasileiros, muito menos fará qualquer tipo de ação que não respeite aos estritos ditames da lei”, diz o texto.

“O Supremo Tribunal Federal repudia, com veemência, espreita espúria, inconstitucional e imoral contra qualquer cidadão e, mais ainda, contra um de seus integrantes, mais ainda se voltada para constranger a Justiça”, continuou a ministra.

Veja a nota na íntegra.

“É inadmissível a prática de gravíssimo crime contra o Supremo Tribunal Federal, contra a Democracia e contra as liberdades, se confirmada informação de devassa ilegal da vida de um de seus integrantes.

Própria de ditaduras, como é esta prática, contrária à vida livre de toda pessoa, mais gravosa é ela se voltada contra a responsável atuação de um juiz, sendo absolutamente inaceitável numa República Democrática, pelo que tem de ser civicamente repelida, penalmente apurada e os responsáveis exemplarmente processados e condenados na forma da legislação vigente.

O Supremo Tribunal Federal repudia, com veemência, espreita espúria, inconstitucional e imoral contra qualquer cidadão e, mais ainda, contra um de seus integrantes, mais ainda se voltada para constranger a Justiça.

Se comprovada a sua ocorrência, em qualquer tempo, as consequências jurídicas, políticas e institucionais terão a intensidade do gravame cometido, como determinado pelo direito.

A Constituição do Brasil será cumprida e prevalecerá para que todos os direitos e liberdades sejam assegurados, o cidadão respeitado e a Justiça efetivada.

O Supremo Tribunal Federal tem o inasfastável compromisso de guardar a Constituição Democrática do Brasil e honra esse dever, que será por ele garantido, como de sua responsabilidade e compromisso, porque é sua atribuição, o Brasil precisa e o cidadão merece.

E, principalmente, porque não há outra forma de se preservar e assegurar a Democracia”.

Nosso comentário: evidentemente que não podemos equacionar esta situação como fato consumado, ao invés de muita gentinha que, perante suspeitas de alguma coisa já consideram como se de fato tivesse acontecido. Porém, deste presidente pode-se esperar tudo, pois atos de corrupção estão amplamente confirmados. Portanto não tem moral sequer para assumir tão importante cargo presidencial. Não obstante, se confirmadas esta suspeita, deveria ser exonerado de imediato da Presidência da República, seja em que circunstâncias for. Chega de palhaçada…

Alberto Maçorano

Comments

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *