O candidato à prefeitura de Recife pelo PT, João Paulo, se envolveu em uma confusão na tarde desta quinta no Shopping Riomar, Zona Sul da cidade. Um homem abordou o ex-prefeito, que almoçava no restaurante Tio Armênio com os assessores Dilson Peixoto, Lígia Falcão e Múcio Magalhães,e começou a xingá-lo de “covarde”, “ladrão” e “canalha”. Logo depois, o indivíduo tentou dar um soco em João Paulo, mas foi contido.

Em julho, o candidato se tornou réu em dois processos por ter pagado uma viagem de dezoito dias ao exterior com dinheiro do contribuinte, em outubro de 2007, quando ainda era prefeito da capital pernambucana.

Leia também:

Candidato do PT à prefeitura do Recife vira réu em dois processos

Em sua página oficial do Facebook, João Paulo comentou sobre o assunto:

“Não compactuamos dessa cultura do ódio e da violência. Vamos tomar todas as medidas legais. Essa cidade não vai ser a cidade da intolerância. O Recife vai continuar sendo de quem sabe ouvir, da democracia, do respeito ao outro. Nossa arma é o amor pela cidade, nosso escudo é a voz do povo.”

Na última pesquisa de intenção publicada, João Paulo (27,7%) se mantém empatado tecnicamente com o atual prefeito da cidade, Geraldo Julio (25,3%), do PSB.

Arquivado em:Eleições 2016, Eleições 2016: Recife, Política

Nosso comentário: é desolador quando se chega a uma situação desta natureza. Mesmo que seja um criminoso não devemos agir por nossa conta, para isso existem autoridades para tomarem conta das ocorrências e prosseguir com as suas audiências e julgamentos. Todavia, com o processo de impeachment de Dilma, conduzido e incrementado por Aécio Neves e a sua camarilha, tumultuaram de tal maneira o país, que cada um quer fazer de juiz em causa própria, não respeitando as instituições democráticas para semelhante situação. Cada um tire as suas próprias conclusões.

Alberto Maçorano