Michel Temer influenciou a escolha do repertório do show que Caetano Veloso apresentou na noite de terça-feira em Lisboa, Portugal. O cantor contou que depois de ouvir Temer usando mesóclises em seus discursos incluiu o samba “Luz do Sol”, no qual faz “duas mesóclises”, na apresentação. Gritos de “Fora, Temer” foram ouvidos na plateia do Coliseu dos Recreios, tradicional casa de shows da capital portuguesa.

“Recentemente o presidente que era interino até poucos dias atrás no Brasil fez um discurso quando utilizando mesóclise e a imprensa sacaneou muito porque achou que era uma coisa, sei lá, formal. E nesse samba eu faço duas mesóclises. E eu achei curioso. Me lembrei do samba por causa da mesóclise”, disse, para risos do público.

“Vocês pensavam que eu ia dizer ‘Fora, Temer’, né?”, brincou Caetano, completando que, no caso, era quase o contrário, já que foi a mesóclise de Temer que o fez incluir o samba de 1986 no repertório do show realizado 30 anos depois. “É até meio estranho porque pelo menos a mesóclise foi uma coisa legal”, ironizou. Algumas pessoas da plateia entoaram um grito de “Fora, Temer”.

Caetano se apresentou em Lisboa com a carioca Teresa Cristina, num concerto que já passou por outras cidades europeias. A jovem cantora do Rio de Janeiro, considerada uma revelação contemporânea, chamou a atenção do ídolo da tropicália. Em Portugal, foi a estreia de Teresa Cristina. “Há muito tempo eu tinha o sonho de cantar aqui”, disse, emocionada, durante o show.

Em Paris, na semana passada, Caetano foi convidado de honra do festival brasileiro Lavagem da Madeleine, e se juntou ao protesto que começou na plateia soltando um discreto “Fora, Temer” no final de uma das canções. Na abertura das Olimpíadas, o baiano publicou uma foto em suas redes sociais segurando um cartaz coma frase contra o então presidente interino. Caetano segue em Portugal esta semana para participar de um debate no Festival Internacional de Cultura (FIC), em Cascais. Com informações da Sputnik Brasil

 

Nosso comentário: insisto nestas postagens, porque tentou criar-se a ilusão nas redes sociais que a maioria das pessoas era contra a Dilma e favorável ao seu impeachment, o que não é verdade. Nunca foi verdade. Manipularam as informações. Os resultados agora são visíveis. Dilma, que não é e nunca foi corrupta. Não identificaram nada contra a sua pessoa, e olha que tentaram fossar de tudo quanto era possível. Foi votada por uma corja de corruptos comprovados e trocada por um governo também ligado à corrupção por muitos dos seus integrantes e por um presidente que por alguma razão não muito ética colocou um património de dois milhões de reais em nome do seu filhinho “Michelzinho”…

Alberto Maçorano