João Mateus, distinto pregador do Evangelho na Seara Espírita, na noite em que atingiu meio século de idade no corpo físico, depois de orar enternecidamente com os amigos, foi deitar-se. 

Sonhou que avançava as portas da Vida Espiritual, e, deslumbrado com a leveza de que se via possuído, intentava alçar-se para melhor desfrutar a excelsitude do Paraíso, quando um funcionário da Passagem Celeste se aproximou, a lembrar-lhe, solícito:

– João, para evitar surpresa desagradável no avanço, convém uma vista d’olhos em sua “FICHA”…

E o visitante recebeu primoroso documento, em cuja face leu, espantadiço:

– João Mateus.
– Renascimento na Terra em 1904.
– Berço Manso.
– Pais carinhosos e amigos.
– Inteligência preciosa.
– Cérebro claro.
– Instrução digna.
– Bons livros.
– Juventude folgada.
– Boa Saúde.
– Invejável noção de conforto.
– Sono calmo.
– Excelente apetite.
– Seguro abrigo doméstico.
– Constante proteção espiritual.
– Nunca sofreu acidentes de importância.
– Aos 20 anos de idade, empregou-se no comércio.
– Casou-se aos 25, em regime de escravização da mulher.
– Católico Romano até os 26.
– Presenciou, sem maior atenção, 672 missas.
– Aos 27 anos de idade, transferiu-se para as fileiras espíritas.
– Compareceu a 2.195 sessões de Espiritismo, sob a invocação de Jesus.
– Realizou 1.602 palestras e pregações doutrinárias.
– Escreve cartas e páginas comoventes.
– Notável narrador.
– Polemista cauteloso.
– Quatro filhos.
– Boa mesa em casa.
– Não encontra tempo para auxiliar os filhos na procura do Cristo.
– Efetuou 106 viagens de repouso e distração.
– Grande intolerância para com os vizinhos.
– Refratário a qualquer mudança de hábitos para a prestação de serviço aos outros.
– Nunca percebe se ofende o próximo, através da sua conduta, mas revela extrema suscetibilidade ante a conduta alheia.
– Relaciona-se tão somente com amigos do mesmo nível.
– Sofre horror às complicações da vida social, embora destaque incessantemente o imperativo da fraternidade entre os homens.
– Sabe defender-se com esmero em qualquer problema difícil.
– Além dos recursos naturais que lhe rederam respeitável posição e expressivo reconforto doméstico, sob constante amparo de Jesus, através de múltiplos mensageiros, conserva bens imóveis no valor de R$ 600.000,000 e guarda em conta de lucro particular a importância de R$ 302.000,00.
– Para Jesus, que o procurou na pessoa de mendigos, de necessitados e doentes, deu durante toda a vida 90 centavos.
– Para cooperar no apostolado do Cristo, já ofereceu 12 reais em obras de assistência social.

– DÉBITO:

Quando ia ler o item referente às próprias dívidas, fortemente impressionado, João acordou. Era manhãzinha…

À noite, bem humorado, reuniu-se aos companheiros, relatando-lhes a ocorrência. Estava transformado, dizia. O sonho modificara-lhe o modo de pensar. Consagrar-se-ia doravante ao trabalho mais vivo no movimento espírita.

Pretendia renovar-se por dentro, reuniria agora palavra e ação.
Para isso, achava-se disposto a colaborar substancialmente na construção de um lar destinado à recuperação de crianças desabrigadas que, desde muito, desejava socorrer.

A experiência daquela noite inesquecível era, decerto, um aviso precioso. E, sorridente, despediu-se dos irmãos de ideal, solicitando-lhes novo reencontro para o dia seguinte. Esperava assentar as bases da obra que se propunha levar a efeito.

Contudo, na noite imediata, quando os amigos lhe bateram à porta, vitimado por um acidente das coronárias, JOÃO MATEUS ESTAVA MORTO!

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 14/03/17, na Rede Espirit Book