Sempre ouvimos comentários, na mídia, das chamadas Sete Maravilhas do Mundo. São obras faraônicas, que marcaram a história das civilizações mundiais, e algumas delas já nem existem… Perderam-se no tempo, ou foram destruídas em acidentes e guerras.

Houve nova eleição em 2007, sendo então eleitas as sete maravilhas do “mundo moderno”. Para fins didáticos, nos referiremos às anteriores como referentes ao mundo antigo, que são:

1. Pirâmide de Quéops;
2. Jardins Suspensos da Babilônia;
3. Estátua de Zeus, em Olímpia;
4. Tempo de Ártemis, em Éfeso;
5. Mausoléu de Halicarnasso;
6. Colosso de Rodes;
7. Farol de Alexandria;

As eleitas no ano de 2007, referentes aos tempos atuais foram:

1. As muralhas da China;
2. Petra;
3. O Cristo Redentor;
4. Machu Picchu;
5. Chichén Itzá;
6. Coliseu;
7. Taj Mahal;

A Doutrina Espírita, codificada por Kardec, transmite-nos inúmeras maravilhas! Porém, tivemos o cuidado de escolher apenas sete, numa alusão ao tema. O critério de escolha não foi a importância, sendo colhidas de forma aleatória:

1. DEUS

“Inteligência suprema, causa primária de todas as coisas”, soberanamente justo e bom. Essas informações já seriam suficientes, para nos fortalecermos na caminhada evolutiva.
Podemos, porém, usar como referência da grandiosidade do Pai, os dizeres de Francisco Cândido Xavier, no capítulo 28 da obra “Na Era do Espírito”:

– (…) Porque tudo está dentro da Ordem Divina. Cada mundo, cada sistema, cada galáxia, orientados por Inteligências Divinas, e Deus para lá disso tudo, sem que possamos fazer-lhe uma definição.

2. IMORTALIDADE DO ESPÍRITO

Em sua inteligência suprema e amor inigualável, criaria Deus seres perecíveis?

Os seres criados por Deus são imortais! Momentaneamente, vestimos corpos físicos, pois somos testados em nossas tendências, através do esquecimento de nossos atos passados e daquilo que combinamos para essa encarnação. Mas jamais deixaremos de existir!

3. COMUNICABILIDADE

Em seu infinito amor, Deus se fez Pai dos encarnados e também dos desencarnados. Havendo duas dimensões (física e espiritual), perguntamos: Deus criaria dois planos (ou dimensões) isolados?
A lógica nos diz que deve haver comunicação entre os dois planos, ambos habitados por irmãos nossos.

Esse raciocínio nos leva a crer na comunicabilidade dos desencarnados com os encarnados, através de uma ferramenta chamada mediunidade.

Fala-se muito na transcomunicação instrumental. Mas a ferramenta mediúnica nos coloca muito a frente desses aparelhos eletrônicos, pois o médium pode comunicar-se com os espíritos diretamente pelo pensamento!

4. REENCARNAÇÃO

Reflete o retorno do espírito ao plano físico, para nova série de provas e a expiação dos erros mais grotescos do seu passado.
Citada de forma indireta por Jesus, e referida em inúmeras passagens do Antigo Testamento, a pluralidade das existências nos possibilita o esquecimento do passado, pela limitação vibratória imposta pelo corpo físico. Assim, sem a lembrança dos erros passados e daquilo que combinamos para essa existência, devemos analisar as tendências que portamos para nos conhecermos. É inegável que o autoconhecimento é a primeira e maior ferramenta da reforma íntima.

5. PLURALIDADE DOS MUNDOS HABITADOS

Nas notas do evangelista João, o governador espiritual do orbe nos revela:

– Na casa do meu Pai há muitas moradas…
Reflitamos: onde fica a “casa do Pai”?
Será que a morada divina restringe-se ao planeta Terra? Seria menosprezar a sabedoria e o amor divino. Jesus nos revela, por essas palavras, que existe vida inteligente fora do nosso orbe. Cada planeta do Universo infinito tem, teve ou terá habitantes em vias de progresso.

6. LEI DO PROGRESSO

Umas das mais sublimes entre as Leis Morais (3ª parte de “O Livro dos Espíritos”) possibilita-nos o crescimento mediante o esforço!
Hoje, melhores do que ontem!
Amanhã, melhores do que hoje!
Sempre amparando e sendo amparado! (Vide questão 779 da mesma obra).

7. LEI DO TRABALHO

Pois é através do trabalho que se progride, e já sabemos que não se pode colher sem plantar!
Bendita Doutrina Espírita, que nos proporciona tanta iluminação!

André Sobreiro

Postado por Ana maria Teodoro Massuci, em 02/07/17, na Rede Espirit Book