Após seis anos e sete meses, ex-goleiro Bruno deixa a prisão

Após seis anos e sete meses preso após ter sido condenado por matar a ex-namorada Eliza Samúdio, o ex-goleiro Bruno deixou a prisão amparado por uma liminar concedida pelo ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF). Ele estava preso na Associação de Proteção e Assistência aos Condenados (Apac), em Santa Luzia, na região metropolitana de Belo Horizonte.

Na saída, ele foi recebido pelo seu advogado Lúcio Adolfo – com quem saiu no carro – e alguns poucos amigos. O ex-goleiro não quis falar com jornalistas que faziam plantão em frente ao presídio. Não foi revelado para onde o ex-goleiro iria, mas, segundo a Globonews, o mais provável era que se encontrasse com a atual mulher, a dentista Ingrid Calheiros, em Belo Horizonte.Em 2013, Bruno foi condenado a 22 anos e três meses de prisão pelo assassinato, mas aguardava há quatro anos o julgamento de um recurso, que está parado no Tribunal de Justiça de Minas Gerais. Segundo o ministro Marco Aurélio, o goleiro tem o direito de aguardar o julgamento em liberdade, já que é réu primário e possui bons antecedentes criminais.“Colocou-se em segundo plano o fato de o paciente ser primário e possuir bons antecedentes. A esta altura, sem culpa formada, o paciente está preso há seis anos e sete meses. Nada, absolutamente nada, justifica tal fato”, escreveu Marco Aurélio.

 

Nosso comentário: é muito estranho e causa indignação, ouvirmos os argumentos do STF, para soltar este criminoso. Portanto, mais uma razão para acreditarmos na justiça divina, a única infalível e à qual ninguém pode fugir ou esconder cadáveres, porque tudo se sabe. Bem que as nobres autoridades podiam estudar esta nobre doutrina, para que ela fosse solta e mais conhecedora.

Alberto Maçorano

Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *