Para aqueles que não sabem, hoje é o dia do meu 70º aniversário. Parece mentira que já com 70 anos, me sinta com o espírito de uma criança…

Por força de circunstâncias dolorosas da minha vida particular em Portugal, vim parar no Brasil em Janeiro de 1991. Tornei-me espírita em Abril de 1995, em função da dor e do sofrimento, quando me indicaram esse caminho para atenuar os meus sofrimentos ou, mais exatamente, saber a causa desses mesmos sofrimentos. Na busca dessa explicação, tive o privilégio de conhecer essa excelsa doutrina em 1995 e foi como que amor à primeira vista. 

Fiquei extasiado ao ter conhecimento da essência da doutrina espírita, dos fundamentos existenciais do homem. Parecia-me ser aquilo mesmo que procurava saber, porque apesar de ter sico criado e educado no exacerbado ambiente católico que dominava o Portugal de então, onde eram proibidos outros acessos religiosos. 

Foi através desse conhecimento que atenuei a minha dor de me separar da família em Portugal e originar um processo emocional que me deixava perto da depressão. Em função desse conhecimento fui-me libertando paulatinamente desse dolorosa mágoa. 

Mergulhei de cabeça nessa nobre doutrina onde me inteirei de uma boa parte desse conteúdo através da leitura de mais de duzentos livros espíritas. 

Em função da minha facilidade em escrever e redigir e também por intuição espiritual, resolvi dedicar-me à feitura de novas traduções de Allan Kardec. Já publiquei o meu primeiro trabalho de “O Livro dos Espíritos”. Já concluí a nova versão de “O Evangelho segundo o Espiritismo”, mas sem condições financeiras de publicá-lo, por enquanto. Espero poder concretizar o restante das obras de Kardec.

Faço reuniões mediúnicas em minha casa com o apoio de minha esposa que é médium.

Em função da minha curiosidade, fiquei sabendo muitas coisas de minhas vidas passadas, sobretudo da minha origem de “Capela”.

Espero poder um dia escrever a minha trajetória espiritual desde a minha origem capelina.

Esta é a minha síntese de uma pequena resenha biográfica.

Muito obrigado a todos aqueles que nos acompanham neste projeto literário, a todos que comungam dos nossos ideais espíritas e àqueles que vierem a seguir-nos nesses ideais, sem marginalizar, todavia, aqueles que, sem quaisquer ideais espiritualistas, apenas nos seguem por simples curiosidade ou ampliação de conhecimentos. Saibam estes, porém, que a vida após a morte e a reencarnação são um fato. 

Gratidão a todos pela ferramenta de trabalho que exercem no meu reerguimento moral e espiritual, razão pela qual fui expulso de “Capela”

Obrigado, obrigado, obrigado…

Alberto Maçorano