Alberto Adriano Maçorano Cardoso, casado, nasceu em Portugal (Felgueiras / Moncorvo / Trás-os-Montes) em 21 de Abril de 1947, acompanhando os pais para Angola, aos quatro anos de idade. Passou a infância numa fazenda de café. Em 1961 mudou-se para Luanda, a capital, onde os pais iniciaram a atividade profissional de hotelaria, posteriormente proprietários de uma pensão nessa cidade, motivados pela preocupação em facilitar a educação académica dos filhos.

Concluiria os estudos secundários (colegial no Brasil), cumprindo também o serviço militar obrigatório durante cerca de quatro anos. Iniciou a atividade bancária no Banco de Angola, em Luanda, no dia 2 de Janeiro de 1973, regressando a Portugal em Setembro de 1975, na sequência da “revolução dos cravos”, ocorrida em 25 de Abril de 1974, com uma breve passagem pelo Brasil, de cerca de oito meses. Não se adaptou à realidade brasileira de então, regressando definitivamente à terra pátria em Abril de 1976. Em Fevereiro de 1977 ingressaria finalmente nos quadros da Caixa Geral de Depósitos, aposentando-se antecipadamente por motivos imperiosos em 1989.

Circunstâncias adversas levaram-no a perder quase todos os bens materiais que possuía, inclusive, a casa própria, sendo orientado a vir para o Brasil em busca do auxílio de parentes muito ricos. Todavia, como santos de casa não fazem milagres, esse “casamento” não daria certo e, cerca de dois anos e meio, após, estava novamente sem nada, isto é, sem trabalho, dinheiro e documentação.

Sobreviveu como caseiro em uma chácara de Ribeirão Preto (SP) e, posteriormente, como porteiro, em companhia do amor de outras vidas que reencontraria em Pirassununga e com quem casaria posteriormente.

Após vicissitudes e sofrimentos exacerbados e algumas experiências frustrantes em outros credos religiosos, conheceria enfim, o Espiritismo, (Abril de 1995), onde descortinou o porto de abrigo, a luz e o fundamento existencial, tão ansiosamente procurado.

Como reconhecimento dessa dádiva, resolve também dar a sua contribuição àquelas mentes humildes e ávidas do saber, iluminando-as com uma nova versão do “Livro dos Espíritos”, prosseguindo agora com a do “Evangelho Segundo o Espiritismo”, e restantes obras de Kardec.

 

 

 

Quando chegámos a Angola - eu no colo do meu pai com 4 anos e o meu irmão no colo da minha mãe

 

 

 

 

 

Quando chegamos a Angola
Eu no colo do meu pai com 4 anos
e o meu irmão no colo da minha mãe

Posts Relacionados