Terminou há pouco 24,00 horas, a maratona encetada 24,00 horas antes, para atingir uma meta de doações no valor de 28 milhões de reais, para manutenção das unidades de tratamento vigentes no Brasil. Desde 1998, o SBT tomou a frente de projetar este valiosíssimo trabalho, oferecendo as suas instalações durante 24,00 horas para uma maratona de angariamento de doações para a AACD, com o nome de Teleton.

Sem dúvida, um excelente trabalho humanitário, de ajuda ao próximo. Por outro lado, uma organização de superior referência no âmbito do tratamento a “deficientes físicos”. É aqui que surge o nosso “calcanhar de Aquiles”.

Apesar de todo o aparato superficial de pessoas que se doam por inteiro e outras parcialmente, não podemos deixar de fazer uma observação pertinente:

Em função das deturpações das diversas correntes religiosas, acreditamos que grande parte das pessoas dotadas de bom coração pensem e olhem para os “deficientes” como seres “inferiores” ou anatematizados com a dor e o sofrimento e estes se julguem privilegiados por não carrearem qualquer deficiência, pelo menos por enquanto.

É pena que não se aproveite uma soberana oportunidade para revelar apenas “a verdade” e nada mais.

Seria justo que essas pessoas, jovens e adolescentes, soubessem que não existem “deficientes”, mas apenas pessoas carregando seus problemas cárpicos em forma das mais variadas “deficiências” em benefício dessas mesmas pessoas, na sequência exclusiva da lei de ação e reação, ou de causa e efeito. É segundo essa trajetória que se desenvolvem os fundamentos existenciais do homem. Não existem mais ou menos privilegiados perante a divindade maior. Todos somos iguais perante Deus, sem quaisquer deficiências e todos estaremos sujeitos a todas e quaisquer deficiências no decurso de nossas vidas terrestres. Por isso não existem deficiências que tornem as pessoas aparentemente inferiores ou vistas como tal perante alguns olhares…

Como seria extraordinariamente salutar, oportuno e benéfico que esses portadores de deficiências soubessem que são pessoas iguais a quaisquer outras que não sejam deficientes. Essas mesmas deficiências são apenas o efeito da lei de ação e reação ou causa e efeito, em função dos crimes ou atrocidades provocados por essas mesmas pessoas em vidas anteriores. Isso é apenas a consequência do “tribunal divino” ao qual ninguém escapa, sejam quais forem as circunstâncias em que sejam cometidos ou praticados. Temos certeza que se este conhecimento fosse do domínio da grande maioria das pessoas, a maioria dos crimes que acontecem teriam uma diminuição drástica.

                Até quando a ignorância irá prevalecer? …

                De qualquer maneira, apoiamos a eminente iniciativa que, apesar de tudo, apoiam uma referência no tratamento e ajuda de “deficientes”.

                Continuem doando e ajudando, estejam onde estiverem. Qualquer doação será sempre bem-vinda. Basta pesquisar na internet AACD / Teleton, que as portas se vos abrirão…

 

Alberto Maçorano