” Quando o ensinamento do Mestre vibre entre as quatro paredes de um templo doméstico, os pequeninos sacrifícios tecem a felicidade comum.
A observação impensada é ouvida sem revolta.
A calúnia é isolada no algodão do silêncio.
A enfermidade é recebida com calma.
O erro alheio encontra compaixão.
A maldade não encontra brechas para insinuar-se (…) ”
[Emmanuel]
Repetimos muitas vezes porque é de uma importância extrema a realização do culto do Evangelho no LAR. É simples, um encontro semanal familiar, no mesmo dia e horário, que pode durar de 10 minutos até no máximo uma hora, onde as pessoas sentam-se para estudar o Evangelho e conversar sobre o conteúdo lido;
Pode ser feito por todas as pessoas da casa ou somente por uma pessoa;
Pode-se colocar água para ser beneficiada pelos Protetores Espirituais e, após, repartida entre os participantes;
A presença de visita, não deve ser motivo para suprimir a Reunião.
No caso de se perder o dia da reunião em determinada semana, pode-se continuar na próxima;
Quando toda a família participa e acontecer de ter uma só pessoa, no dia marcado, a reunião deve acontecer normalmente;
No caso de viagem, a família pode realizar a reunião onde estiver;

•–•

Roteiro da Reunião:

– leitura, sem comentários, de uma página de um livro (por exemplo, Pão Nosso, Fonte Viva, entre outros);
– prece inicial;
– leitura e comentários de um tópico de O Evangelho segundo o Espiritismo, estudado de forma sequencial;
– prece de encerramento.

•–•

Assim nos ensina Joanna de Ângelis em seu precioso livro “Messe de AMOR”:

“Dedica uma das sete noites da semana ao Culto Evangélico no Lar, a fim de que Jesus possa pernoitar em tua casa. Prepara a mesa, coloca água pura, abre o Evangelho, distende a mensagem da fé, enlaça a família e ora. Jesus virá em visita.
Quando o Lar se converte em santuário, o crime se recolhe ao museu. Quando a família ora, Jesus se demora em casa. Quando os corações se unem nos liames da fé, o equilíbrio oferta bênçãos de consolo e a saúde derrama vinho de paz para todos.

Jesus no Lar é vida para o Lar. Não aguardes que o mundo te leve a certeza do bem invariável.
Distende, da tua casa cristã, a luz do Evangelho para o mundo atormentado.

Quando uma família ora em casa, reunida nas blandícias do Evangelho, toda a rua recebe o benefício da comunhão com o Alto. Se alguém, num edifício de apartamentos, alça aos Céus a prece da comunhão em família, todo o edifício se beneficia, qual lâmpada ignorada, acesa na ventania.

Não te afastes da linha direcional do Evangelho entre os teus familiares. Continua orando fiel, estudando com os teus filhos – e com aqueles a quem amas – as diretrizes do Mestre e, quanto possível, debate os problemas que te afligem à luz clara da mensagem da Boa Nova e examina as dificuldades que te perturbam ante a inspiração consoladora do Cristo.
Não demandes a rua, nessa noite, senão para os inevitáveis deveres que não possas adiar.

Demora-te no Lar para que o Divino Hóspede aí também se possa demorar. E quando as luzes se apagarem à hora do repouso, ora mais uma vez, comungando com Ele, como Ele procura fazer, a fim de que, ligado a ti, possas, em casa, uma vez por semana em sete noites, ter Jesus contigo.”

|Messe de AMOR – Divaldo P. Franco / Joanna de Ângelis|

Postado por Ana Maria Teodoro Massuci, em 18/01/18, na Rede Espirit Book